segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Instantes Inclusivos ... por um propósito.

Instantes Inclusivos
... por um propósito.

Todos os dias deparamos com a diferença, ela faz parte da heterogeneidade do ser humano, contudo nem sempre este é um verdadeiro exemplo na compreensão e aceitação dessa mesma diferença. Sendo únicos e singulares, completamente diferentes uns dos outros, deveria ser expectável que a sensibilidade perante a heterogeneidade não fosse necessário explicar, mas ao invés disso, infelizmente, torna-se necessário. As crianças inicialmente, parecem isentas de preconceitos, contudo ao longo do seu desenvolvimento, o ser humano no convívio com a diversidade patenteia contrariar a heterogeneidade como se fosse uma situação dúbia. Por isso mesmo, é essencial que a criança (e o adulto) na sua interação social, recorde que as diferenças existem e que precisam ser respeitadas e encaradas como oportunidades de aprendizagem.
Nesse intento surgem diversas publicações com o objetivo de, dando nomes às diferentes problemáticas, abordar as suas características apelando para os seus direitos.
Em 2000, surgia uma publicação da Edições Neptuno com a parceria da APPT21 (Associação portuguesa de portadores de trissomia 21), uma publicação no foco de um irmão diferente abordando a problemática da trissomia 21.
Nesta publicação “Tenho um irmão diferente” os textos de Carmo Teixeira Turquin e ilustrações de Laura Carmo Costa relatam a vida de Henri (portador de T21) pelo olhar da irmã Constança que elenca as diferentes brincadeiras e gostos que ambos partilham. Preferências e especificidades de qualquer ser humano. Um pequeno destaque para a explicação acessível de Síndrome de Down ou T21, apelando ao respeito, realçando, que como qualquer um de nós (tal como o protagonista Henri), tem pontos fortes e menos fortes no seu desenvolvimento, aliás item sobrevalorizado em todas as publicações aqui elencadas.
Em 2006 , as Edições MEdialivros com a chancela Media Junior publica com uma Bolsa do
Cadin (Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil): “Crescer com um irmão diferente” (os textos continuam a ser de Carmo Teixeira Turquin, desta vez em conjunto com Ana Aragão Morais e ilustrações de Joana Bonvalot). O livro baseia-se nos diferentes testemunhos dos irmãos apresentados por ordem etária. Uma obra mais condensada de trinta e oito testemunhos de irmãos sobre as experiências das diferentes problemáticas no desenvolvimento e vivências na frateria. Voltamos a encontrar Constança como protagonista de um dos textos sobre o seu irmão Henri. Encontramos ainda um glossário do Dr. Nuno Lobo Antunes sobre as diferentes problemáticas, bem como sugestões úteis para pais, nomeadamente associações e consultas de referência.
Os lucros das vendas desta publicação revertem para a Bolsa Social do Cadin, Bolsa Social essa, que contribuiu para a edição do referido livro. 
Em 2007, as Edições Nova Gaia, publicam as obras espanholas da Canadiana Jennifer Moore-Mallinos, com ilustrações de Marta Fàbrega.
A autora, com a profissão de assistente social, publica temas de não ficção para crianças, essencialmente com o foco  de situações familiares, onde se inserem os problemas de desenvolvimento.
Na coleção intitulada “Crescer Cidadão”, na abordagem dos direitos e deveres de cada um vivendo em sociedade, nomeadamente respeitando as diferenças, destaco os títulos da coleção: Tu consegues!” eTenho dislexia!”
Em cada um destes livros destacam-se três partes: a história propriamente dita do protagonista, com enfoque na caraterização da problemática; um conjunto de atividades de vertente lúdica potenciadoras de mudanças de atitudes; e, ainda, um Guia para educadores.
Em “Tu consegues!”, exploram-se algumas das situações reais vivenciadas por quem anda de cadeira de rodas. Adriano, o personagem principal, tem uma deficiência física e como todas as crianças gosta de estudar, brincar, passear e um gosto particular por basquetebol...
No livro “Tenho dislexia”, Sara a protagonista, apresenta-nos as dificuldades em aprender a ler e escrever.  Sabendo a razão das suas dificuldades reconhece que necessita de uma ajuda extra e muita prática, acabando por descobrir um talento escondido.
Em 2013, a Pais-em-rede (associação formalizada em 2008, a partir de um grupo de pais com o propósito da inclusão das pessoas com deficiência apoiando núcleos de pais em todo o país), lançou uma coleção denominada “Meninos Especiais”, nesta edição são lançados três livros de capa mole, com cerca de vinte páginas, que narram as vivências de crianças com trissomia 21, paralisia cerebral e autismo nomeadamente com os títulos: “É bom ter amigos” (texto de Luísa Beltrão e  ilustração de Tânia Bailão Lopes); “Um detetive em cadeira de rodas” (texto de Luisa Ducla Soares e Ilustrações de Ana Ferreira) e “Um mundo só meu” (texto de Alice Vieira e ilustrações de Paulo Guerreiro).
São as histórias da Vera, do Tiago e do João, três crianças reais que constituíram a inspiração para estes três títulos, com o intuito de consciencializar crianças e adultos para a temática da deficiência, remetendo para a importância da criança diferente, ser respeitada na sua individualidade, direito afinal tão natural de qualquer ser humano. Sobre o lançamento destes livros remeto para a Newsletter nº 64 (setembro 2013).
A venda destes livros reverte para a referida Associação no fortalecimento da REDE de núcleos em todo o País, já que não dispõe de outras fontes de rendimento.
Em 2014 a mesma associação publica mais três títulos, nesta segunda edição, destaco uma preocupação mais cuidada com a edição e paginação.
As problemáticas do desenvolvimento abordadas são: Síndrome de Cornélia Lange,  Hiperatividade e Défice de atenção e a Surdo-Cegueira.  
Martim o menino assim” (texto de José Luís Peixoto e ilustrações de Vasco Gargalo), o  quotidiano de um menino que não fala, que não gosta de estar parado e que desenha o mundo inteiro.
À velocidade do vento” (texto de Afonso Cruz e ilustrações de Marta Leite) narra a vida de Cláudia, sempre num mundo tão acelerado que se lhe torna difícil começar um raciocínio e acabá-lo.
O mundo de Carolina” (texto de Teolinda Gersão e ilustração de Carolina Arbués Moreira apresenta uma menina Surdocega.
O objetivo desta coleção e na generalidade destas publicações referidas é demonstrar que, com ou sem determinadas problemáticas todos possuem caraterísticas comuns, e que para além das dificuldades existem qualidades que devem ser potenciadas, constituem-se com o propósito de fomentar a inclusão na escola em particular e nas sociedade em geral.
Com exceção dos livros das edições Nova Gaia (inseridos num projeto editorial especifico) as publicações referidas têm como base associações que pretendem dar voz a crianças e jovens com necessidades especiais. Cumprem o objetivo a que se destinam, falar da diferença partindo de casos reais.
Já abordei, nesta rubrica, livros que abordam a diferença não referindo qualquer problemática, é o não dito que realça o essencial do ser único na sua especificidade. Estes livros, pelo inverso, norteiam-se pela objetividade da temática permitindo ao universo infantil e adulto na sua interação social, conhecer as diferentes problemáticas e especificidades que urgem ser respeitadas e encaradas como oportunidades de aprendizagem. Todos nós somos verdadeiros exemplos de que a diversidade é uma evidência, pois somos únicos e singulares, completamente diferentes uns dos outros. Narrativas que pautam pela afirmação dos direitos de todos os cidadãos enquanto noções integradoras e essenciais da cidadania, imbuídas de espírito inclusivo evidenciando, sem vitimização, o desejo de ser um entre iguais na diversidade que pauteia o ser humano.

Elvira Cristina Silva

Os livros da coleção meninos especiais publicados pelo ISPA/Pais em Rede podem ser adquiridos através do email: encomendasmeninosespeciais@gmail.com










com a lindíssima capa cedida por Rita Correia 



Sem comentários:

Publicar um comentário